17 setembro 2015

Resenha | O Monstrologista




Autor: Rick Yancey
Editora: Farol Literário
Número de páginas: 474



Will Henry é assistente de um médico com uma especialidade incomum: a monstrologia, isto é, o estudo dos monstros. Ao receber em casa o cadáver de uma menina atrelado a um desses seres que se acreditava extinto, Will e o médico sairão à caça de outros antropófagos antes que seja tarde demais. O Monstrologista é o primeiro de uma eletrizante trilogia para aqueles com estômago forte!
 
Órfão de pai e mãe, William Henry mora na casa de um cientista estranhíssimo: dr. Pellinore Warthrop, especialista em monstros. Por ser assistente do monstrologista, Will acaba vendo coisas bastante incomuns e acompanhando Warthrop em missões perigosíssimas.

Ao receber em casa o corpo de uma garota atrelado ao de uma figura jamais imaginada por qualquer ser humano, o dr. e seu jovem assistente vão à caça de seres antropófagos para evitar que o mundo fique em ruínas.

Nunca li nada remotamente parecido com O Monstrologista. Ambientado no ano de 1888, apresenta criaturas e acontecimentos horrendos pelos olhos de uma criança. O autor nem poupa detalhes ao descrever uma morte ou cena repugnante. Mas não o faz de maneira doentia ou cansativa: as descrições deixam a obra rica, fascinante e que facilmente penetra na mente do leitor.

Os personagens são os mais incomuns possíveis. Apaixonantes e detestáveis ao mesmo tempo. Por incontáveis vezes eu quis bater em Pellinore, por ser tão arrogante, insensível e impaciente, mas logo depois eu já estava me divertindo com as loucuras (aparentes) e atitudes hilárias dele. Aliás, os diálogos dele com Will Henry me arrancaram inúmeras e espontâneas gargalhadas. Sério, eu ria alto com as conversas um tanto insanas entre eles.

A leitura é frenética, contagiante e arrepiante. Não conseguia largar o livro, de tão fascinada e curiosa para entender tudo que estava acontecendo. As cenas são muito vívidas, fortes e asquerosas. Parecia até que eu estava vendo os fatos com meus próprios olhos de tão bem contados que são. E por diversas vezes até fiquei com nojo do que foi narrado.

A vontade que tenho é de abraçar e esbofetear Rick Yancey por escrever um livro tão original, envolvente, sinistro e que me deixou completamente apreensiva, encantada e enojada. Estou ansiosíssima para ver como essa história ficará nas telonas, já que os direitos de adaptação da série foram comprados pela Warner Bros.


Por Brunna Carolinne

1 comentários:

  1. WOW pra esse livro... Ele parece ser muito bom mas, daquele tipo de bom que te deixa com tanto ódio do autor por escrever coisas do tipo
    Eu jurava que Will era um jovem e tals... Mas, criança, tadinho...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir